Agenda

  • sex
    26
    jan
    2018
    14h00Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada

    Seminário

    A legislação portuguesa de SCIE é prescritiva, no entanto, a tendência regulamentar internacional caminha no sentido de uma aplicação cada vez mais alargada do projeto baseado no desempenho (performance-based design). Venha saber o que é o projeto baseado no desempenho e como já pode ser aplicado em Portugal.

    Programa

    • 14h00 | Registo
    • 14h30 | Sessão de abertura | Eng. Francisco Granadeiro (SFPE Portugal)
    • 14h40 | Palestra “Projeto de SCIE baseado no desempenho – o futuro da segurança contra incêndios” | Arq. Paulo Ramos (SFPE Portugal)
    • 16h30 | Coffee break
    • 17h00 | O SRPCA e o projeto baseado no desempenho | Eng.ª Irene Mealha (SRPCA)
    • 17h20 | Dimensionamento de sistemas de controlo de fumo e modelação de incêndios | Eng. Francisco Granadeiro
    • 17h50 | Mesa redonda | Moderação do Eng. João Mota Vieira
    • 18h30 | Encerramento dos trabalhos (Bensaude SA)

    Oradores

    Paulo Ramos | Arquiteto, com pós-graduação em Proteção Contra Incêndios, estando a fazer doutoramento em Engenharia de Segurança ao Incêndio. É especialista de SCIE na ETU com projetos em Portugal, Angola, Argélia e França. É vogal da CT46, presidindo à SC6, que acompanha os trabalhos da ISO/TC 92 Fire Safety. É presidente da SFPE Portugal.

    Irene Mealha | Engenheira Química pelo Instituto Superior Técnico e Mestre em Segurança Contra Incêndios Urbanos pela Universidade de Coimbra, chefia a Divisão de Segurança Contra Incêndios do SRPCBA, sendo que desenvolve a sua atividade profissional em matéria de segurança contra incêndio desde 1999.

    Francisco Granadeiro | Engenheiro Mecânico com Pós-Graduação em Segurança Contra Incêndios Urbanos pela Universidade de Coimbra. Especialista em SCIE da 3ª e 4ª categoria de risco com cerca de 400 projetos e MAPs elaborados e mais de 20 anos de experiência como instalador de SCIE. É vogal da CT46 participando na SC6.

    João Mota Vieira (Moderador) | Engenheiro Eletrotécnica pelo IST, tendo um MBA em gestão de empresas na UA. É Diretor de Património na Bensaude SA. Paralelamente é projetista de instalações elétricas, ITED/ITUR, segurança integrada e SCIE, com certificação de 3ª e 4ª categorias de risco. É membro efetivo da Ordem dos Engenheiros.

    Resumos das apresentações

    Projeto baseado no desempenho: o futuro da SCIE | Há algumas décadas que a tendência internacional na área da SCIE é no sentido de adoção de regulamentos de projeto baseado no desempenho (performance-based design). A regulamentação portuguesa, apesar de estar muito desatualizada face aos demais países europeus, já permite este tipo de abordagem. Nesta palestra será explicado o que é o projeto de SCIE baseado no desempenho e quais são as suas vantagens e desvantagens quando comparado com a abordagem tradicional prescritiva, sendo apresentados alguns exemplos de aplicação em Portugal.

    O SRPCBA e o projeto baseado no desempenho | O enquadramento legal do projeto de segurança contra incêndio em edifícios baseado no desempenho é essencial para o seu desenvolvimento, pelo que este será o primeiro aspeto a ser abordado. Será apresentada a perspetiva genérica do SRPCBA relativamente ao projeto de SCIE baseado no desempenho, nas áreas que este poderá incidir bem como as potencialidades das ferramentas a utilizar. Por outro lado, será abordada a qualificação dos técnicos para a elaboração de projetos de segurança SCIE baseados no desempenho assim como a formação que se entende essencial para desenvolver essa vertente.

    Dimensionamento de sistemas de controlo de fumo e modelação de incêndios | A legislação portuguesa de SCIE é parca em diretrizes para dimensionamento de sistemas de controlo de fumo, sejam passivos ou ativos. É objetivo desta apresentação fazer uma introdução aos modelos de dimensionamento mais usados na Europa, bem como dos modelos de simulação de incêndio que nos permitem fazer a sua validação.

    Local

    Quartel dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada
    Rua de São Gonçalo, 230
    9500-110 Ponta Delgada

    Inscrição

    • Sócios Efetivos da SFPE Portugal  | 0€
    • Sócios Observador SFPE Portugal   | 5€
    • Sócios Estudante SFPE Portugal   | 5€
    • Membros da OE, OET ou OA | 15€ (necessário enviar comprovativo)
    • Outros | 20€

    O valor da inscrição inclui Certificado de Participação, envio de documentação por email e coffee break.

    O seminário será seguido de jantar facultativo, para prolongar o debate e networking. O custo do jantar não está incluído na inscrição, sendo pago à parte no próprio restaurante. Preço estimado de 15€.

    Projeto de SCIE baseado no desempenho: uma tendência internacional

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    Os dados recolhidos são para uso interno da organização do evento.

    Patrocínio

    Apoio

     

  • qua
    21
    fev
    2018
    14h30FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

    Aula aberta

    A legislação portuguesa de SCIE é prescritiva. No entanto, a tendência regulamentar internacional caminha no sentido de uma aplicação cada vez mais alargada do projeto baseado no desempenho (performance-based design). Nesta palestra será explicado o que é o projeto de SCIE baseado no desempenho e quais são as suas vantagens e desvantagens quando comparado com a abordagem tradicional prescritiva. Será abordado o seu enquadramento jurídico em Portugal, sendo apresentados alguns exemplos de aplicação. Será ainda discutido o papel central da investigação e das universidades no avanço do conhecimento científico de SCIE.

    O projeto baseado no desempenho é o futuro da segurança contra incêndios. Faça parte dele.

    A missão da SFPE Portugal é promover a evolução do conhecimento técnico e científico da SCIE, estabelecer elevados padrões éticos entre os seus associados e promover a divulgação do conhecimento da Engenharia de Segurança Contra Incêndio. Na concretização desta missão, um dos eixos fundamentais da sua ação é junto das universidades, de forma a incentivar os estudantes desenvolver investigação na área da SCIE. Estão previstas aulas abertas em várias universidades:

    Orador

    Marco Miguel é engenheiro eletrotécnico, com diversas formações na área da Segurança Contra Incêndio em Edifícios. É projetista e formador especialista de SCIE, tendo sido docente do ensino superior até 2015 e técnico superior na ANPC até 2010. É coordenador da CT46/SC2/GT5 – Sistemas de controlo de fumo e co-autor do livro “Regulamento de Segurança em Tabelas”.

    Local

    Inscrição

    ESGOTADO

  • sex
    23
    fev
    2018
    sáb
    24
    fev
    2018
    09h00Sede da APSEI (Sacavém)

    English Version

    Curso

    Curso de dois dias de introdução ao software de simulação de incêndios Fire Dynamics Simulator (FDS) e ao software de visualização 3D Smokeview. Cada módulo terá uma componente prática em que os formandos irão trabalhar sobre exemplos, resolvendo exercícios nos seus próprios computadores portáteis. O curso e toda a documentação serão em inglês.

    Programa

    • Pirólise e combustão.
    • Opções de condições de fronteira, incluindo condução, múltiplas camadas, temperatura fixa, extração, admissão, etc.
    • Radiação.
    • Deteção de incêndios e sprinklers.
    • Criação de fogos pré e pós flashover.
    • Utilização do Smokeview
    • Utilização de folhas de cálculo para introdução de dados no FDS.

    Formador

    Gabriele Vigne é Engenheiro de Segurança ao Incêndio e investigador, sendo atualmente diretor da JVVA no escritório de Madrid. Trabalhou em diversos projetos multidisciplinares para desenvolvimento de soluções de engenharia de segurança, incluindo a estratégia global de segurança e simulação de incêndios através de programas de dinâmica de fluídos, para edifícios comerciais, aeroportos, metropolitanos, túneis rodoviários e ferroviários e edifícios de grande e muito grande altura. Gabriele foi Diretor de Projeto em vários projetos internacionais que envolveram modelação avançada de incêndios e de evacuação.

    Gabriele tem mestrado em Engenharia Mecânica e Mestrado em Estudos Avançados de Engenharia de Segurança. Frequentou cursos de modelação de incêndios na universidade Lund University, estando atualmente a fazer doutoramento em métodos computacionais para modelação de incêndios e de fumo na Universidad de Jaén (Espanha) em parceria com a Universidad de Comillas University (ICAI) em Madrid e com o Imperial College of London (Inglaterra). As suas principais áreas de experiência são dinâmica de fluídos, modelação de incêndios e fumo, modelação de evacuação e ventilação de túneis. Ele é colaborador internacional do NIST para desenvolvimento do FDS e Smokeview.

    Pré-Requisitos

    Para aproveitar ao máximo os ensinamentos do curso os formandos deverão ter conhecimentos mínimos de fenomenologia de combustão, transferência de calor e dinâmica de fluídos.

    Material

    Os formandos deverão trazer computador portátil com um processador Pentium de pelo menos 2 GHz, com 4 GB de RAM e 10 GB de espaço livre no disco. O computador deverá ter um programa de folha de cálculo para análise de dados e o Adobe Acrobat Reader para ler documentação. Os formandos deverão assegurar-se que têm privilégios de administrador que lhes permita instalar software durante o curso.
    Antes do curso os formandos devem fazer o download e instalação das versões mais recentes do FDS e Smokeview e verificar se os programas funcionam normalmente no computador. Os programas FDS e Smokeview estão disponíveis para download gratuito no site do NIST em www.bfrl.nist.gov na secção de “Software”.

    Horário

    • Sexta 23 | 10:00 às 20:00 (almoço das 13:00 às 14:00)
    • Sábado 24 | 9:00 às 15:00 (almoço das 12:00 às 13:00)

    Local

    O curso realiza-se na sede da APSEI em Sacavém (12 km do centro de Lisboa). Para ver no Google Maps siga este link.

    Inscrição

    • Sócio efetivo da SFPE Portugal ou sócio da SFPE Internacional | 100 €
    • Sócio observador da SFPE Portugal | 200 €
    • Sócio local da SFPE España | 200 €
    • Sócio da APSEI | 200 €
    • Membros das associações profissionais (OA, OE e OET) | 250 €
    • Outros | 300 €

    AS INSCRIÇÕES ENCONTRAM SE FECHADAS. CASO DESEJE FICAR EM LISTA DE ESPERA; PODE PREENCHER O FORMULÁRIO ABAIXO E AGUARDAR CONFIRMAÇÃO POR MAIL CASO HAJA ALGUMA DESISTÊNCIA.

    Introdução ao Fire Dynamics Simulator (FDS) e Smokeview

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    Os dados recolhidos são para uso interno da organização do evento.

    Organização

    Parceria

    Apoio

     

  • qua
    28
    fev
    2018
    18hUAlg – Universidade do Algarve (Faro)

    Aula aberta

    A legislação portuguesa de SCIE é prescritiva. No entanto, a tendência regulamentar internacional caminha no sentido de uma aplicação cada vez mais alargada do projeto baseado no desempenho (performance-based design). Nesta palestra será explicado o que é o projeto de SCIE baseado no desempenho e quais são as suas vantagens e desvantagens quando comparado com a abordagem tradicional prescritiva. Será abordado o seu enquadramento jurídico em Portugal, sendo apresentados alguns exemplos de aplicação. Será ainda discutido o papel central da investigação e das universidades no avanço do conhecimento científico de SCIE.

    O projeto baseado no desempenho é o futuro da segurança contra incêndios. Faça parte dele.

    A missão da SFPE Portugal é promover a evolução do conhecimento técnico e científico da SCIE, estabelecer elevados padrões éticos entre os seus associados e promover a divulgação do conhecimento da Engenharia de Segurança Contra Incêndio. Na concretização desta missão, um dos eixos fundamentais da sua ação é junto das universidades, de forma a incentivar os estudantes desenvolver investigação na área da SCIE. Estão previstas aulas abertas em várias universidades:

    Orador

    Vilarim Reis, Eng.º Téc. Civil, ISEL 1982. Desempenhou funções de Comandante nos Bombeiros do Algarve e em diversas entidades no âmbito dos bombeiros e da segurança contra incêndio. Projetista, consultor e formador para cursos de segurança contra incêndio em edifícios das 3.ª e 4.ª CR. Participa como palestrante e formador em eventos diversos na área da SCI. É vogal da CT 46/SC2/GT2 e na SC6.

    Local

    Inscrição

    Participação gratuita, mas sujeita a inscrição
    Data limite de inscrição – véspera do evento

  • sex
    23
    mar
    2018
    18h30Porto, Ordem dos Engenheiros Técnicos

    Tertúlias

    OS EQUÍVOCOS E OS ERROS DAS CATEGORIAS DE RISCO PREVISTAS NO RJSCIE

    Leça CoelhoInvestigador Principal do LNEC com Habilitação para coordenação de funções científicas. Doutorado em Engenharia Civil pela FEUP com dissertação sobre "Modelação matemática da evacuação de edifícios sob a ação incêndio". Mestre em Construção de Edifícios pela FEUP, com licenciaturas em Engenharia Civil e em Engenharia Eletrotécnica, ambas na FEUP.

    UTs e categorias de risco: uma generalização que não dá resposta às especificidades de cada edifício

    Paulo RamosArquiteto, com pós-graduação em Proteção Contra Incêndios, estando a fazer doutoramento em Engenharia de Segurança ao Incêndio. É especialista de SCIE na ETU com projetos em Portugal, Angola, Argélia e França. É vogal da CT46, presidindo à SC6, que acompanha os trabalhos da ISO/TC 92 Fire Safety. É presidente da SFPE Portugal.

    Debate

    Pedro Lopes

    José Pedro Lopes, Eng.º Civil, foi bombeiro 18 anos, Inspetor Regional e Inspetor Superior Adjunto no SNB e Vice-presidente do SNPC e do SNBPC. Foi posteriormente Vogal do Conselho Diretivo do INEM. É o Diretor Nacional de Bombeiros, na ANPC. É Mestre em Segurança aos Incêndios Urbanos e doutorando em Engenharia de Segurança ao Incêndio.

    Programa

     

    Os equívocos e os erros das categorias de risco previstas no RJSCIE

    Engº Leça Coelho

    O conceito de categoria de risco (CR) na atual legislação é nuclear na definição das medidas a implementar, constatando-se que no DL n.º 224/2015 e na Portaria n.º 1532/2008 ele é referido, respetivamente, 114 e 268 vezes. O facto de as medidas a implementar dependerem do perigo, e não do risco e, ainda, do conceito de CR não ter fundamentação científica, conduzem frequentemente a distorções profundas no risco atribuído às várias utilizaçõestipo, sendo reconhecido no preâmbulo do DL nº 224/2015 a necessidade da sua alteração.

    UTs e categorias de risco: uma generalização que não dá resposta às especificidades de cada edifício

    Arqº Paulo Ramos

    O conceito de utilização tipo (UT) e categorias de risco (CR) consiste numa divisão de um todo heterogéneo em grupos, sendo aplicado em cada grupo as mesmas exigências para todos os edifícios, independentemente das diferenças que haja entre eles, não dando resposta às especificidades de cada um. A regulamentação portuguesa, inspirada na francesa, adotou o conceito de UTs e CRs desta mas tem menos UTs e acrescentou critérios para as CR, criando incoerências que não existem em França. Todavia há regulamentos em que as exigências são determinadas pelas características de cada edifício e não por UTs.

    Moderação

    Eng.º Pedro Lopes

    Patrocínio


    Apoio

    Inscrição


    Data limite de inscrição
    4 dias antes do evento
    Valor da inscrição
    Sócios da SFPE Portugal 5€ | Não sócios 10€
    Máximo 25 participantes | Tertúlia seguida de jantar debate facultativo, não incluído no valor da inscrição
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    EVENTO ESGOTADO
    (Caso deseje ficar em lista de espera envie um email para info@sfpe.pt, com o assunto 'Lista de Espera - Tertúlia OET Porto' com indicação de Nome, Email, Contacto telefónico e NIF. Em caso de confirmação da inscrição, receberá um mail nosso)
  • sex
    27
    abr
    2018
    18h30Coimbra, Universidade de Coimbra, Polo II, Auditório Laginha Serafim

    DEBATE

    Os incêndios florestais são objeto de grande debate público mas pouco se fala do Interface Urbano-Florestal (IUF), onde a vegetação e as estruturas humanas coexistem, propiciando os incêndios e agravando o seu risco. A discussão centra-se no ordenamento do território e nos meios de combate, que sendo aspetos importantes, não são os únicos determinantes na salvaguarda da vida humana. Importa assim promover o debate público sobre os incêndios no IUF e as questões com eles relacionadas tais como a reação ao fogo dos edifícios em ambiente florestal, as distâncias mínimas entre as construções e a vegetação, medidas de autoproteção específicas para o IUF, acessibilidades e evacuação de populações.

    Oradores

    Xavier Viegas é licenciado em Engenharia Mecânica pelo IST e doutorado em Aerodinâmica pela Universidade de Coimbra. Professor Catedrático do Departamento de Engenharia Mecânica da FCT da Universidade de Coimbra desde 1992. Fundou , em 1990,  a Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), coordena o seu Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF).

    João Paulo Rodrigues é professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra, sendo Doutorado em Engenharia Civil (2001) e Agregado em Engenharia Civil (2014) pelo IST. É Coordenador dos Mestrados em Segurança aos Incêndios Urbanos e Doutoramento em Engenharia de Segurança ao Incêndio da Universidade de Coimbra.

    Carlos Luís Tavares é Comandante Operacional Distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Coimbra desde 2013. É licenciado em Segurança Comunitária pelo ISCIA e pós-graduado em Dinâmicas Sociais e Riscos Naturais pela Universidade de Coimbra. Foi Comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Soure de 2002 a 2013. Recebeu várias condecorações da LBP e do MAI.

    Vilarim Reis (moderador) é Eng.º Téc. Civil. Desempenhou funções de Comandante nos Bombeiros do Algarve e em diversas entidades no âmbito dos bombeiros e da segurança contra incêndio. Projetista, consultor e formador para cursos de segurança contra incêndio em edifícios das 3.ª e 4.ª CR. Participa como palestrante e formador em eventos diversos na área da SCI. É vogal da CT 46/SC2/GT2 e na SC6.


    Patrocínio



    Apoio

    Inscrição


    Data limite de inscrição
    4 dias antes do evento
    Valor da inscrição
    Sócio Efetivo da SFPE Portugal | Gratuito
    Estudantes do ensino superior (necessário enviar comprovativo) | Gratuito
    Sócios Observador da SFPE | 5€
    Associados APSEI  | 5€
    Outros | 10€
     Debate seguido de jantar debate facultativo, não incluído no valor da inscrição
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.

    Debate - Incêndios de Interface Urbano-Florestal - 27 de Abril 2018

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
  • sex
    25
    maio
    2018
    9h00-13h00Portimão - Portimão Arena

    Programa

    Irão ser abordados vários aspetos técnicos e científicos que estão subjacentes às exigências regulamentares da segurança contra incêndios, como a fenomenologia da combustão, termodinâmica em situação de incêndio, os fluxos de evacuação, os fatores comportamentais, a química da extinção, entre outros. Esta abordagem aos fundamentos da SCIE permitirá compreender a razão de ser e importância dos vários sistemas passivos e ativos, desenvolvendo uma visão abrangente e integradora da segurança. Será feita a análise por desempenho de algumas disposições regulamentares, indicando algumas estratégias simples para otimização da eficácia dos sistemas, por vezes com significativa redução de custos. Este workshop terá uma forte dinâmica, com filmes e experiências laboratoriais demonstrando vários aspetos técnicos e científicos que envolvem o fogo.

    Orador

    Será orador neste seminário Paulo Ramos Arquiteto, especialista em SCIE na ETU e Presidente da SFPE Portugal. Tem licenciatura e mestrado pré-Bolonha em Arquitetura e uma pós graduação m Proteção Contra Incêndios em Edifícios. Atualmente está a fazer doutoramento em Engenharia de Segurança ao Incêndio na Universidade de Coimbra.

    Complementou a sua formação com vários cursos de especialização de SCIE, nomeadamente “Introduction to Fire Dynamics Simulator (FDS) and Smokeview” (SFPE Portugal, 2018), “Performance-Based Design and Regulation in Europe” (SFPE, Rotterdam 2018), “Introduction to Fire Risk Assessment” (SFPE, Warsaw 2016), “Evacuation for Fire Safety Engineering” (SFPE, Copenhagen 2015), “Smoke Management” (University of Edinburgh/APSEI, 2010).

    É projetista de SCIE há mais de dez anos, com certificação para edifícios de 3ª e 4ª categorias de risco, tendo sido técnico responsável de mais de uma centena de projetos e medidas de autoproteção, em Portugal, Angola, Argélia e França.

    Integra a Comissão Técnica de SCIE da Ordem dos Arquitetos desde a sua formação em 2009, sendo o representante da Ordem na Comissão de Acompanhamento da Implementação do RJ-SCIE. É vogal da CT46, presidindo à SC6 – Projeto de Segurança contra Incêndio Baseado no Desempenho, que acompanha os trabalhos da ISO/TC 92 Fire Safety.

    Inscrição

    Participação gratuita sujeita a inscrição.

  • sáb
    09
    jun
    2018
    10h-18hSede da APSEI (Sacavém)

    Curso de um dia sobre sistemas de extinção automática de incêndios, dando uma visão geral dos vários sistemas de extinção e do seu desempenho (Módulo 1) e analisando com mais pormenor o sistema de extinção por sprinklers, abordando o seu dimensionamento através da norma europeia EN 12845, por oposição aos critérios de dimensionamento do RT-SCIE (Módulo 2). O curso será bilingue, sendo um módulo em inglês e outro em português.

    Programa

    Manhã (10h às 13h) | Módulo 1

    Formador | Luciano Nigro

    • Performances of active fire protection systems
    • Characteristics of the various systems that are available today for fire control

      Tarde (14h às 18h) | Módulo 2

    Formador | Pedro Maia

    • Critérios de dimensionamentos de sprinklers do RT-SCIE
    • Metodologia de dimensionamento de redes de sprinklers segundo a norma EN 12845
    • Dimensionamento da reserva de água, segundo a EN 12845 e RT-SCIE

    Formadores

    Luciano Nigro is a principal at Jensen Hughes (Continental Europe). Luciano Nigro is a chemical engineer doctor from the Padua University in Italy and is a registered professional engineer in Italy. He is a member of the Italian Standard Body committee on active fire protection and represents Italy in the European Committee on fixed firefighting installations. He is also a member of the Board of the International Water Mist Association and is President of the Italian association AIIA, representing the Italian Chapter of the Society of Fire protection Engineers

    Pedro Maia é engenheiro civil pela UTAD, desenvolvendo atividade como projetista de instalações hidráulicas na AZ76. Especializou-se na área da proteção ativa contra incêndio, tendo participado e coordenado diversos projetos nacionais e internacionais - Líbia, Brasil, Angola, Moçambique, Iraque, Omã, Arábia Saudita, Sri Lanka e Azerbaijão. Pedro Maia desenvolve projetos de redes de sprinklers, redes de incêndio armadas, sistemas de espumas, centrais de bombagem, cálculos hidráulicos e respetiva pormenorização.

    Extinção automática – abordagem pelo desempenho

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    Os dados recolhidos são para uso interno da organização do evento.

  • qua
    04
    jul
    2018
    18h30Lisboa, ISEL

    Tertúlias 

    OS EQUÍVOCOS E OS ERROS DAS CATEGORIAS DE RISCO PREVISTAS NO RJSCIE

    Leça CoelhoInvestigador Principal do LNEC com Habilitação para coordenação de funções científicas. Doutorado em Engenharia Civil pela FEUP com dissertação sobre "Modelação matemática da evacuação de edifícios sob a ação incêndio". Mestre em Construção de Edifícios pela FEUP, com licenciaturas em Engenharia Civil e em Engenharia Eletrotécnica, ambas na FEUP.

    UTs e categorias de risco: uma generalização que não dá resposta às especificidades de cada edifício

    Paulo RamosArquiteto, com pós-graduação em Proteção Contra Incêndios, estando a fazer doutoramento em Engenharia de Segurança ao Incêndio. É especialista de SCIE na ETU com projetos em Portugal, Angola, Argélia e França. É vogal da CT46, presidindo à SC6, que acompanha os trabalhos da ISO/TC 92 Fire Safety. É presidente da SFPE Portugal.

    Debate

    Pedro Lopes

    José Pedro Lopes, Eng.º Civil, foi bombeiro 18 anos, Inspetor Regional e Inspetor Superior Adjunto no SNB e Vice-presidente do SNPC e do SNBPC. Foi posteriormente Vogal do Conselho Diretivo do INEM. É o Diretor Nacional de Bombeiros, na ANPC. É Mestre em Segurança aos Incêndios Urbanos e doutorando em Engenharia de Segurança ao Incêndio.

    Programa

     

    Os equívocos e os erros das categorias de risco previstas no RJSCIE

    Engº Leça Coelho

    O conceito de categoria de risco (CR) na atual legislação é nuclear na definição das medidas a implementar, constatando-se que no DL n.º 224/2015 e na Portaria n.º 1532/2008 ele é referido, respetivamente, 114 e 268 vezes. O facto de as medidas a implementar dependerem do perigo, e não do risco e, ainda, do conceito de CR não ter fundamentação científica, conduzem frequentemente a distorções profundas no risco atribuído às várias utilizaçõestipo, sendo reconhecido no preâmbulo do DL nº 224/2015 a necessidade da sua alteração.

    UTs e categorias de risco: uma generalização que não dá resposta às especificidades de cada edifício

    Arqº Paulo Ramos

    O conceito de utilização tipo (UT) e categorias de risco (CR) consiste numa divisão de um todo heterogéneo em grupos, sendo aplicado em cada grupo as mesmas exigências para todos os edifícios, independentemente das diferenças que haja entre eles, não dando resposta às especificidades de cada um. A regulamentação portuguesa, inspirada na francesa, adotou o conceito de UTs e CRs desta mas tem menos UTs e acrescentou critérios para as CR, criando incoerências que não existem em França. Todavia há regulamentos em que as exigências são determinadas pelas características de cada edifício e não por UTs.

    Moderação

    Eng.º Pedro Lopes

    Patrocínio

    Apoio

    Inscrição


    Data limite de inscrição
    1 dia antes do evento
    Valor da inscrição
    Sócios da SFPE Portugal 5€ | Não sócios 10€
    Máximo 25 participantes | Tertúlia seguida de jantar debate facultativo, não incluído no valor da inscrição
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.

    Tertúlia - Utilização tipo e categoria de risco: serão as bases do RT-SCIE sólidas? - 4 de Julho 2018

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    Os dados pessoais aqui solicitados, apenas servirão para inscrição neste evento, sendo apagados após o mesmo, caso não seja indicado o contrário:
  • sex
    28
    set
    2018
    sáb
    29
    set
    2018
    09h00OET - Ordem dos Engenheiros Técnicos - Seccão Regional Norte

    English Version

    Curso

    Curso de dois dias de introdução ao software de simulação de incêndios Fire Dynamics Simulator (FDS) e ao software de visualização 3D Smokeview. Cada módulo terá uma componente prática em que os formandos irão trabalhar sobre exemplos, resolvendo exercícios nos seus próprios computadores portáteis. O curso e toda a documentação serão em inglês.

    Programa

    • Pirólise e combustão.
    • Opções de condições de fronteira, incluindo condução, múltiplas camadas, temperatura fixa, extração, admissão, etc.
    • Radiação.
    • Deteção de incêndios e sprinklers.
    • Criação de fogos pré e pós flashover.
    • Utilização do Smokeview
    • Utilização de folhas de cálculo para introdução de dados no FDS.

    Formador

    Gabriele Vigne é Engenheiro de Segurança ao Incêndio e investigador, sendo atualmente diretor da JVVA no escritório de Madrid. Trabalhou em diversos projetos multidisciplinares para desenvolvimento de soluções de engenharia de segurança, incluindo a estratégia global de segurança e simulação de incêndios através de programas de dinâmica de fluídos, para edifícios comerciais, aeroportos, metropolitanos, túneis rodoviários e ferroviários e edifícios de grande e muito grande altura. Gabriele foi Diretor de Projeto em vários projetos internacionais que envolveram modelação avançada de incêndios e de evacuação.

    Gabriele tem mestrado em Engenharia Mecânica e Mestrado em Estudos Avançados de Engenharia de Segurança. Frequentou cursos de modelação de incêndios na universidade Lund University, estando atualmente a fazer doutoramento em métodos computacionais para modelação de incêndios e de fumo na Universidad de Jaén (Espanha) em parceria com a Universidad de Comillas University (ICAI) em Madrid e com o Imperial College of London (Inglaterra). As suas principais áreas de experiência são dinâmica de fluídos, modelação de incêndios e fumo, modelação de evacuação e ventilação de túneis. Ele é colaborador internacional do NIST para desenvolvimento do FDS e Smokeview.

    Monitor

    Bruno Lopes é Mestre em Arquitetura pela Escola Universitária das Artes de Coimbra, tendo terminado o último ano curricular no Politécnico de Milão ao abrigo do programa Erasmus.  Exerceu funções como arquiteto estagiário na Divisão de Administração Urbanística da Câmara Municipal de Elvas.  Integrou a equipa de colaboradores de vários ateliers de arquitetura entre os quais NTC Lda, Espaços e Sítios - atelier multidisciplinar de arquitetura e design e P3p Lda.  Projetista de Segurança Contra Incêndio de 3º e 4º categorias de risco, sendo projetista de segurança desde 2011 possui curso avançado de Fire Dynamics Simulator (FDS).  Desde 2013 é colaborador na ETU Lda, atelier especializado em SCIE tendo vindo a especializar-se na simulação de fogos em software.

    Pré-Requisitos

    Para aproveitar ao máximo os ensinamentos do curso os formandos deverão ter conhecimentos mínimos de fenomenologia de combustão, transferência de calor e dinâmica de fluídos.

    Material

    Os formandos deverão trazer computador portátil com um processador Pentium de pelo menos 2 GHz, com 4 GB de RAM e 10 GB de espaço livre no disco. O computador deverá ter um programa de folha de cálculo para análise de dados e o Adobe Acrobat Reader para ler documentação. Os formandos deverão assegurar-se que têm privilégios de administrador que lhes permita instalar software durante o curso.
    Antes do curso os formandos devem fazer o download e instalação das versões mais recentes do FDS e Smokeview e verificar se os programas funcionam normalmente no computador. Os programas FDS e Smokeview estão disponíveis para download gratuito no site do NIST em www.bfrl.nist.gov na secção de “Software”.

    Horário

    • Sexta 28 | 10:00 às 20:00 (almoço das 13:00 às 14:00)
    • Sábado 29 | 9:00 às 15:00 (almoço das 12:00 às 13:00)

    Local

    OET - Ordem dos Engenheiros Técnicos - Secção Regional Norte localizada na Rua Pereira Reis, Nº 429 4200-448 Porto (12 km do centro do Porto). Para ver no Google Maps siga este link.

    Inscrição

    • Sócio efetivo da SFPE Portugal ou sócio da SFPE Internacional | 100 €
    • Sócio observador da SFPE Portugal | 200 €
    • Sócio local da SFPE España | 200 €
    • Sócio da APSEI | 200 €
    • Sócio da OET | 200 €
    • Membros das associações profissionais (OA, OE) | 250 €
    • Outros | 300 €

    Introdução ao Fire Dynamics Simulator (FDS) e Smokeview

    Dados para faturação
    O seu registo só é válido após o pagamento do valor da inscrição.
    Por favor efetue o pagamento por transferência bancária para a conta com o IBAN - PT50 0033-0000-45500840123-05 (AESCI - Associação para a Engenharia de Segurança) e envie o comprovativo da transferência por email para info@sfpe.pt. Quando fizer a transferência no descritivo do movimento coloque o seu nome.
    Os dados pessoais aqui solicitados, apenas servirão para inscrição neste evento, sendo apagados após o mesmo, caso não seja indicado o contrário:

    Organização

    Parceria

    Apoio